Sobrinho de Odilon Jedeão de Oliveira revela sumiço de mais dinheiro após deixar diretoria da 3ª Vara

A Vara era comandada pelo então juiz Odilon de Oliveira, hoje candidato do PDT ao governo de Mato Grosso do Sul

O ex-diretor de secretaria da 3ª Vara Federal de Campo Grande, Jedeão de Oliveira, revelou nesta sexta-feira (26) durante entrevista à FM Educativa UCDB, de Campo Grande, que valores elevados voltaram a sumir dos cofres do órgão público depois que ele deixou o cargo.

Durante entrevista ao radialista Paulo Yafuso, Jedeão disse ter informações de que há registro de uma nova acusação injusta envolvendo outro funcionário e que o juiz Odilon de Oliveira ainda não havia se aposentado.

“Ele (Odilon) não é tudo isso que fala”, disparou o ex-diretor, que é primo do juiz aposentado e hoje candidato ao governo de Mato Grosso do Sul.

Envolvido em um processo sobre o desaparecimento de R$ 11 milhões dos cofres da 3ª Vara Federal, Jedeão voltou a dizer, na entrevista, que resolveu registrar documento em um cartório no interior de São Paulo apenas para se proteger, uma vez que estaria recebendo ameaças.

Em entrevista anterior ao jornal Folha de São Paulo, Jedeão acusou o ex-magistrado de venda de sentenças e negociada para beneficiar traficante e de “arapongagem” (grampo telefônico clandestino) contra pessoas que desconfiava praticar atos ilícitos.

Jedeão foi funcionário de confiança do juiz por cerca de 20 anos.

Demitido em junho de 2016, Jedeão tentou negociar acordo de delação premiada, mas a proposta foi rejeitada pelo MPF (Ministério Público Federal).

O depoimento do ex-diretor da 3ª Vara Federal, contudo, resultou na abertura de investigação contra Odilon de Oliveira.

Em nota, o ex-juiz informou que considera que o MPF apenas ratificou pedido feito por ele mesmo para que fosse investigado a respeito das acusações do seu ex-assessor.

DEBATES

imagem TV.Morena

Durante os debates de televisão tanto no primeiro quanto no segundo turno das eleições para o governo de Mato Grosso do Sul, o ex-juiz sempre demonstrou irritação ao ser questionado sobre o sumido do dinheiro pelos seus adversários políticos.

No primeiro turno, ele foi perguntado sobre o caso pelo candidato do PV ao Parque dos Poderes, Marcelo Bluma, mas preferiu colocar a culpa em seu primo, o qual chama de “bandido”.

Ontem, no último debate do segundo turno, realizado pela TV Morena, afiliada da Rede Globo, Odilon reagiu, atacando o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), “requentando” uma ação contra o tucano arquivada esta semana pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

conjunturaonline

Pin It

Comentários estão encerrados.