Em nota, Reinaldo diz que operação às vésperas das eleições é midiática

 Em nota divulgada no fim da tarde desta quarta-feira (12), o Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse estranhar o fato de a Operação Vostok ter sido desencadeada às vésperas das eleições estaduais. No texto, o tucano afirma que não existem fatos novos na tramitação do inquérito que justifiquem a ação da Polícia Federal que, segundo ele, aconteceu de maneira “intempestiva e midiática”. Azambuja é um dos investigados na operação que apura suposto esquema de cobrança de propina em troca de benefícios fiscais.

Reinaldo diz ainda que há um ano e meio se colocou voluntariamente à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos sobre os fatos, no entanto, nem ele nem o filho, que teve prisão decretada, foram procurados prestar depoimento.

Confira  a nota na íntegra

Há um ano e meio me coloquei voluntariamente à disposição da Justiça para prestar os esclarecimentos necessários sobre este caso. Infelizmente, até o dia de hoje, jamais fui convocado pelas autoridades constituídas para apresentar minha defesa às acusações da delação mais questionada do país.

Mesmo respeitando as decisões do judiciário, não posso deixar de registrar a extemporaneidade de uma operação policial que ocorre a apenas 20 dias da eleição de forma intempestiva e midiática sem, contudo, a ocorrência de nenhum fato novo na tramitação do inquérito.

Estamos tomando as providências legais para reverter a prisão temporária do meu filho Rodrigo, que sempre esteve disponível e, até então, também sequer foi chamado a prestar depoimento.

Em respeito à população de Mato Grosso do Sul, continuo cumprindo normalmente a dupla jornada como governador do Estado e candidato à reeleição.

Tenho fé: a verdade prevalecerá.

Reinaldo Azambuja
Governador do Estado de Mato Grosso do Sul

 

Pin It

Comentários estão encerrados.